CIRURGIAS
Estrabismo

O estrabismo consiste em uma alteração que afeta diretamente o paralelo entre os dois olhos, que apontam para diferentes direções. A doença pode ser classificada de duas formas:

Esotropia

O laser é indicado para pessoas que apresentam doenças que afetam os vasos sanguíneos do olho, como nos diabéticos e nas oclusões venosas (“tromboses”). Onde o tratamento a laser estabiliza o quadro, evita hemorragias e a progressão da doença. Sendo assim, previne um determinado tipo de glaucoma, chamado glaucoma neovascular.

Também é indicado para pacientes que apresentam degenerações periféricas ou roturas na retina predisponentes ao deslocamento de retina, casos em que a cirurgia pode ser evitada com o tratamento a laser.

Exotropia

Conhecida como divergente, a exotropia é quando um ou ambos os olhos se deslocam para o lado de fora e em vertical, movimentando-se para cima ou para baixo.

Sintomas

A queixa mais presente é a diplopia (chamada de ‘’visão dupla’’ quando os olhos não estão alinhados corretamente), comuns em crianças e adultos. Outros sintomas são dor de cabeça e torcicolo (pois o fato de inclinar a cabeça, pode fazer com que o indivíduo estrábico tenha uma melhora considerável na visão).

Diagnóstico

A avaliação do foco de luz de forma centralizada nas duas pupilas é importantíssima para o diagnóstico do problema. Exames oftalmológicos como de fundo de olho, de oclusão ou movimento ocular também são úteis para confirmar o estrabismo.

Tratamento

O tratamento da patologia consiste na correção das causas que o desencadeiam . De forma terapêutica, o tratamento inclui colírios, óculos, exercícios ortópticos e tamponamento do olho com visão normal para o estímulo do olho deficiente. Caso mesmo depois da correção do desvio a visão se mantenha comprometida, é recomendável considerar o método cirúrgico.

Em caso de dificuldade na visão, desconforto e dores oculares, procure imediatamente um oftalmologista para realizar os exames adequados.